quinta-feira, 24 de abril de 2008

Vamos descontrair um pouquinho?

Eu recebi esse texto de uma colega la' de Recife e ri ate' dizer chega! Entao decidi compartilhar com voces. Dependendo do estado de espirito que cada uma estiver no momento, da' pra rir - ou chorar - ou pensar em dar umas boas cacetadas no autor, quem sabe?

DESABAFOS DE UM BOM MARIDO
Luís Fernando Veríssimo

Minha esposa e eu temos o segredo pra fazer um casamento durar: duas vezes por semana, vamos a um ótimo restaurante, com uma comida gostosa, uma boa bebida, e um bom companheirismo. Ela vai às terças-feiras, e eu às quintas.
Nós também dormimos em camas separadas. A dela é em Fortaleza e a minha em São Paulo .
Eu levo minha esposa a todos os lugares, mas ela sempre acha o caminho de volta.
Perguntei a ela onde ela gostaria de ir no nosso aniversário de casamento:
'- Em algum lugar que eu não tenha ido há muito tempo!' ela disse. Então eu sugeri a cozinha.
Nós sempre andamos de mãos dadas. Se eu soltar, ela vai às compras.
Ela tem um liquidificador elétrico, uma torradeira elétrica, e uma máquina de fazer pão elétrica. Então ela disse:
'Nós temos muitos aparelhos, mas não temos lugar pra sentar'.
Daí, comprei pra ela uma cadeira elétrica.
Lembrem-se, o casamento é a causa número um para o divórcio. Estatisticamente, 100 % dos divórcios começam com o casamento.
Eu me casei com a 'Sra. Certa'. Só não sabia que o primeiro nome dela era 'Sempre'.
Já faz 18 meses que não falo com minha esposa. É que não gosto de interrompê-la. Mas tenho que admitir, a nossa última briga foi culpa minha.
Ela perguntou:
'- O que tem na TV?'
E eu disse:
'-Poeira'.
No começo Deus criou o mundo e descansou. Então, Ele criou o homem e descansou. Depois, criou a mulher. Desde então, nem Deus, nem o homem, nem Mundo tiveram mais descanso...
Quando o nosso cortador de grama quebrou, minha mulher ficava sempre me dando a entender que eu deveria consertá-lo. Mas eu sempre acabava tendo outra coisa para cuidar antes: o caminhão, o carro, a pesca, sempre alguma coisa mais importante para mim. Finalmente ela pensou num jeito esperto de me convencer.
Certo dia, ao chegar em casa, encontrei-a sentada na grama alta, ocupada em podá-la com uma tesourinha de costura.
Eu olhei em silêncio por um tempo, me emocionei bastante e depois entrei em casa. Em alguns minutos eu voltei com uma escova de dentes e lhe entreguei.
'-Quando você terminar de cortar a grama,' eu disse, 'você pode também varrer a calçada.'
Depois disso não me lembro de mais nada.
Os médicos dizem que eu voltarei a andar, mas mancarei pelo resto da vida.
O casamento é uma relação entre duas pessoas na qual uma está sempre certa e a outra é o marido...

3 comentários:

Morrocoy disse...

Ai, mesmo já conhecendo esse texto, é inevitável rir. Adoro Veríssimo, ele escreve com uma naturalidade e humor que mesmo discordando não deixamos de rir.
E teve terremoto sim! Em São Paulo parece que se sentiu mais, algumas pessoas sentiram balançar o chão mesmo, principalmente em prédios altos. No Rio também. Aqui em SC algumas pessoas sentiram, mas foram poucas. Teve gente achando que estava com tonturas. Eu não senti nada, e nem conheço alguém que tenha sentido. Enfim!

εïз Andrea Cris εïз disse...

Olá Amiga
Obrigada pela visita fiquei muito Feliz por vc ter gostado do Gorrinho..

Vim te desejar
BOM FINAL DE SEMANA
Bjs
Andrea

Nanna disse...

Amei o texto, dei muita risada.
Abreijos.