segunda-feira, 22 de janeiro de 2007

Coisas que acontecem no Brasil...

Eu ando imensamente indignada, ultimamente!!!
Meu marido se tornou deficiente físico e precisa do apoio de uma bengala. Lógico que andar, para ele, é bem cansativo.
Pois é. Nesses últimos dias temos passado dias inteiros juntos, tratando de interesses muito importantes para nossa família. Isso nos leva a muitos prédios públicos e então comecei a constatar a dificuldade que ele enfrenta no dia-a-dia em nosso país.
As calçadas de muitas de nossas cidades apresentam obstáculos para os deficientes, alguns locais públicos não reservam um lugar no estacionamento próximo à porta de entrada e quando tem, entra a vez do mal-educado, burro, cego e analfabeto que usa a vaga sem o menor pudor...
Essas coisas me deixam muito chateada. O fato de uma pessoa ser portadora de alguma deficiência física não implica dizer que ela tenha obrigatoriamente deficiência mental, que não saiba seus direitos e nem possa brigar por eles. E quando a gente abre a boca e exige esses direitos em alto e bom tom, ainda tem gente que olha meio enviesado, com cara de "lá-vem-esse-pessoal-barraqueiro"!
Eu não posso ficar quieta. Tudo isso me revolta, me dá engulhos, e quando vejo uma placa como essa aí embaixo, não dá pra não copiar. Sinto que tenho que mostrar pra quantos quiserem ver que nosso país ainda tem muito que aprender para ser decente...

Update:
A minha revolta não é com a placa. Eu acho que todas deveriam receber esse adendo, para serem mais explícitas.
O que quero dizer é que algumas pessoas pensam que deficientes físicos são também idiotas a ponto de não reconhecerem que têm direitos e que eles devem ser respeitados...


Réservé aux handicapés.
Quelques fois, utilisé par des pauvres d'esprit.
-o-
Ces jours-là, je reste pleine d'indignation!
Mon mari est handicapé. Il a besoin d'un bâton et pour lui, marcher c'est fatigant.
Les derniers jours, on reste tout le temps ensemble, car on doit résoudre des questions très importantes pour la famille. C'est pour ces affaires-là qu'on doit aller presque tous les jours à plusieurs établissements et j'ai vérifié qu'il y a vraiment de difficulté pour se déplacer dans mon pays.
Les rues de plusieurs villes dans mon pays présentent des obstacles et quelques établissements n'ont pas un lieu réservé pour la voiture des handicapés mais, s'il y en a un, presque toujours il est utilisé par des personnes sans scrupules...
Ces choses me laissent vraiment furieuse! Si quelqu'un est handicapé, ça ne veut pas dire qu'il n'est pas intelligent et qu'il ne connaît pas ses droits ni peut lutter pour se faire respecter. Et ici, si on ouvre beaucoup la bouche et on réclame nos droits, il y a toujours quelqu'un qui nous lance un coup d'oeil pas sympa!
Mais moi, je ne peut pas rester tranquille. Tout ça me révolte et quand je vois des plaques comme ça, j'ai besoin de montrer à tous et je dois aussi dire que mon pays si aimé, mon chéri Brésil, il a encore un long chemin à parcourir pour devenir un pays où on a la bienséance...
Update:
Je ne suis pas révolté à cause de la plaque. Je pense que toutes les autres pourraient recevoir cette correction ci-dessus.
Ce que je veux dire est que les personnes pensent que les handicapés ne savent pas lutter pour se faire respecter...

2 comentários:

Alessandra disse...

Querida Miriam, entendo o que está passando. Qdo minha filha andava de carrinho, eu tinha o mesmo problema, tinha que passear com ela na rua, pois nas calçadas era um verdadeiro raly. Tem muitos buracos, degraus, obstáculos, um verdadeiro inferno! Fora muitas lojas terem degraus pra entrar, ou portas pequenas que não passava o carrinho. Nem ao Banco eu conseguia ir. E ficava imaginando as pessoas que são deficientes como sofrem na cidade. Fico triste, pois só aqui no Brasil é essa pouca vergonha! Mas espero uqe vc e seu marido estejam bem. Mande lembranças minhas e meu apoio à ele. Mudando de assunto... quer dizer uqe desistiu da blusa? Ah! não faz isso não... seja paciente, e tente novamente... sei que vai conseguir... Querida amiga, desejo que tenha uma bela semana... beijinhos ALE

Croche Croche! disse...

oi Miriam
menina, eu entendi diferente esse recado.
Eu e minha irmã falamos que quem estaciona em vagas preferenciais sem serem, tem sim uma deficiência, são cegos! já que não obedecem a placa. Eu achei que era isso que eles estavão falando, que EVENTUAlMENTE alguém estaciona aonde não deveria - portanto ele é o deficiente.
É bem claro que a analogia não está correta!
beijocas mil
ADri